Deixe sua avaliação

Uma luva eletrônica que ajuda a comunicação de mergulhadores enquanto estão debaixo d’água foi desenvolvida por pesquisadores e divulgada em um estudo publicado na American Chemical Society (ACS). O utensílio interpreta os movimentos, os envia por uma rede sem fio e eles são traduzidos em mensagens.

Quando precisam se comunicar com seus pares, para passar informações como “estou bem” e “tubarão”, mergulhadores normalmente usam gestos manuais que podem ser difíceis de enxergar. Essa nova ferramenta pode auxiliar os exploradores a passarem seus comandos de forma mais clara e ser útil na recuperação de acidentes que causam danos motores.

Além de auxiliar na comunicação entre os mergulhadores e os barcos que estão na superfície, a luva pode ajudar na recuperação de um derrame, por exemplo, para restabelecer habilidades motoras finas.

Para cadastrar os gestos, foram gravados 16 movimentos feitos por mergulhadores e inseridos em um computador com a técnica de aprendizado de máquina — uma espécie de inteligência artificial — que converte o movimento dos sensores em mensagens. A precisão obtida no estudo foi de 99,8%.

A dificuldade dos pesquisadores é tornar a luva confortável e à prova d’água. Os receptores foram colocados em estruturas inspiradas nos pés de estrelas do mar feitas por ferramentas de escrita a laser. Na construção foi utilizado um filme fino de dimetil polissiloxano (PDMS), um plástico à prova d’água comumente usado em lentes de contato.

Os sensores têm aproximadamente o tamanho de uma porta USB-C e geram sinais eletrônicos quando detectam uma variedade de pressão, desde o toque leve de uma nota de dinheiro até o impacto da água saindo de uma mangueira de jardim. Os pesquisadores enrolaram 10 desses sensores à prova d’água dentro de curativos adesivos e os colaram nos dedos e articulações da luva eletrônica.

Leia o estudo completo aqui.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Luva eletrônica à prova d’água traduz gestos de mergulhadores no site CNN Brasil.